Total de visualizações de página

domingo, 20 de fevereiro de 2011

GRANDES ATACANTES - MARCELO RAMOS

Marcelo Ramos chegou ao Cruzeiro comprado ao Bahia em 1995. Chegou om muita moral pois era um artilheiro nato no futebol baiano. Em sua primeira fase no Cruzeiro destacou-se pelos gols decisivos e acabou também sendo vendido ao PSV, outra vez para substituir Ronaldinho.

Não se adaptou ao futebol holandês e retornou ao Cruzeiro em 1997, quando o clube disputava as quartas de final da Libertadores e o play-off do MIneiro. Solucionou o problema da escassez de gols do ataque e decidiu algumas partidas, sagrando-se campeão em ambas competições. No ano passado, marcou seu centésimo gol com a camisa do Cruzeiro.


Marcelo Ramos faz o gol do titulo mineiro de 1997.


Marcelo Ramos x Valdir pelo campeonato mineiro de 1999.


Marcelo Ramos ajudou o Cruzeiro a conquistar o tricampeonato mineiro em 96-97-98. Fez inumeros gols decisivos e se tornou o artilheiro absoluto do campeonato mineiro de 1996 com 23 gols. Somente tres outros jogadores conseguiram fazer mais gols em uma edição do campeonato depois da fundação do Mineirão.

Dos incontáveis clássicos disputados por Marcelo com a camisa do Cruzeiro, dois deles não saem da memória do atacante. Um deles foi a goleada por 5 a 1, aplicada em 1999, na final da Copa dos Campeões de Minas. O outro foi em 2003, 4 a 2, pelo Campeonato Mineiro, de virada. Em ambos os jogos o artilheiro deixou sua marca.

"Aquela goleada de 5 a 1, em 1999, pela decisão da Copa dos Campeões de Minas me marcou, por ter sido uma goleada. Eu fiz um gol, o Valdo fez dois, o Paulo Isidoro e o Alex Alves também marcaram. Foi legal pela goleada. Outro marcante foi em 2003, pelo Campeonato Mineiro, jogamos muito bem, ganhamos de 4 a 2 e eu fiz o quarto gol, foi um gol bonito, então acho que esse jogo foi bem legal. Mas foram tantos jogos, a maioria eu marquei gols, e é muito difícil escolher os mais marcantes".


video

Em 2009 , Marcelo veio ao Mineirão enfrentar o Cruzeiro jogando pelo Ipatinga. Ao ser substituido no final da partida foi ovacionado pela torcida cruzeirense. Marcelo então fez a seguinte declaração:"O que os torcedores fizeram ficará no meu coração. Sabia que não seria vaiado ao tocar na bola, mas não esperava o estádio inteiro gritar meu nome. Isso ficará marcado pra sempre na minha carreira. Lembrando o que aconteceu, vou demorar a pegar no sono, hoje. Sair do Mineirão assim é pra jamais se esquecer. É o reconhecimento por gols e títulos. Sou muito grato ao torcedor do Cruzeiro. Não tem dinheiro que pague isso. A gente vive momentos difíceis no futebol, mas tive mais alegrias que tristezas. Sempre me lembro das minhas conquistas no Cruzeiro assistindo meus DVDs. Se tivesse um convite voltaria com muito prazer, porque o Cruzeiro é o clube do meu coração."

Na goleada por 4x2 sobre o Atletico no campeonato minerio de 2003 , Marcelo Ramos fez o seu gol.

GRANDES ATACANTES - GUILHERME

Guilherme, foi um dos principais goleadores na história do Atlético. É até hoje o sétimo maior artilheiro na historia do clube com 139 gols em 205 jogos. O atacante esteve no Atlético por duas vezes. Na primeira vez jogou no clube entre os anos de 1999 e 2002. E foi no alvinegro mineiro, que o centroavante viveu seu melhor momento na carreira. No Brasileirão de 1999, Guilherme foi artilheiro, bateu o recorde que pertencia ao maior ídolo atleticano, Reinaldo, e conduziu o time à final do campeonato. O Atlético Mineiro acabou com o vice-campeonato. Depois foi emprestado ao Corinthians onde ficou por apenas seis meses. No inicio de 2003 voltava a defender as cores do Galo. Participou das campanhas na copa do Brasil, Campeonato Mineiro e o início do Brasileirão. Foi então vendido ao Al Ittihad, da Arábia Saudita.

Artilheiro do campeonato brasileiro de 1999 fazendo 28 gols.

Sua estreia aconteceu no dia 31 de Julho, na vitória por 2 a 0 contra o Gama. Na ocasião, o centroavante começou a partida no banco de reservas e substituiu o atacante Curê. Na partida seguinte, foi escalado como titular e não decepcionou: marcou um gol de voleio no empate por 1a1 contra o Sport Recife na Ilha do Retrio, e a partir daí tornou-se titular absoluto do Galo. Fazendo dupla de ataque com Marques, o camisa 7 marcou 28 gols em 27 jogos no campeonato nacional, igualando a marca de 1977 do atleticano Reinaldo e tornando-se artilheiro do Campeonato. Apesar de marcar em momentos decisivos, não foi capaz de garantir o título do Brasileiro para o Atlético.


No ano seguinte, levou o clube ao título do campeonato mineiro  ao marcar 7 gols. Além disso, fez 9 gols na campanha da Copa Libertadores da América, quando a equipe foi eliminada nas quartas-de-final.
Guilherme fez junto a Marques uma das maiores duplas de atacantes do futebol brasileiro recente.


Um jogo inesquecivel - A segunda partida das quartas de final do brasileiro de 1999 contra o Cruzeiro. Guilherme fez dois gols e eliminou o Cruzeiro do brasileirão.

video

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

GALO, TRICAMPEÃO DA TAÇA MG 1976

Em 76, o Galo entrou disposto a tudo para barrar um novo pentacampeonato do Cruzeio. Pra começar a jornada, a Taça MG(1º Turno) era o primeiro passo para alcançar seu segundo título mineiro na "Era Mineirão". E com um time novo e grandes jogadores surgindo, entre eles Reinaldo, Cerezo e Paulo Izidoro, o Atlético contava com a experiência do veloz e folclórico ponta Cafuringa para vencer a final contra o experiente e vencedor time cruzeirense de 76.
O mineirão super lotado viu o time alvinegro vencer com show do saudoso e inspiradíssimo ponta Cafuringa e jogadas geniais do garoto Reinaldo.


REVISTA PLACAR, DESTACANDO EM PRIMEIRA PÁGINA A FINAL DA TAÇA MG DE 76

 Reinaldo tentando aprontar das suas em cima do craque cruzeirense Piazza


Time atleticano no dia da decisão

Cruzeiro, Tetracampeão de 1975

Nos primeiros 10 anos do Mineirão, o Cruzeiro quase reinou absoluto nos estaduais. Depois do penta em 69 e os títulos de Galo e Coelho em 70 e 71 respectivamente, a Raposa conseguiria nova sequência de 72 a 75, faturando o tetracampeonato.
Porém esse tetracampenato não foi fácil. Após um campeonato acirrado, a  final contra o Atlético foi um jogo duríssimo e  as duas esquadras recheadas de craques proporcionaram uma grande decisão. No final, o time celeste adiou novamente a festa atleticana. 1 a 0, gol do Palhinha.


REVISTA PLACAR DE 1975 EXALTA A VITÓRIA DO TIME CELESTE, COMANDADO POR OSWALDO BRANDÃO
                                                                





quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

CRUZEIRO TRICAMPEÃO 1998

A decisão do campeonato mineiro de 1998 foi muito disputada. Já nas semifinais o Cruzeiro teve muito trabalho para eliminar o Villa Nova, vencendo por 2x0 no Mineirão e empatando po 0x0 em Nova Lima. O mesmo ocorreu com o Atletico que venceu a primeira partida contra o America por 2x1 e na segunda partida um empate dramatico por 3x3. 
Os dois jogos das finais eram aguardados por todos, desde torcedores a imprensa . O Cruzeiro vinha dominando nos anos 90 e era o atual bicampeão mineiro ,vencendo em 96 e 97.O Atlético chegava com um time forte as finais querendo interromper a serie do rival.
O Atlético pela melhor campanha em todas as fases jogou por dois resultados iguais na decisão em duas partidas. Com uma vitória na 1a partida o Cruzeiro desfez a vantagem e um empate na 2a partida garantiu o título

O que se previa aconteceu e a primeira partida das finais foi um grande jogo com a vitoria do Cruzeiro por 3x2. O grande nome desta partida foi Fabio Jr, a jovem promessa cruzeirense que fez os tres gols celestes .



FICHA TECNICA:
CRUZEIRO 3 X 2 ATLÉTICO

Mineirão
Data: 07/06/1998
Publico:37.826
Renda: Cr$ 343.350,00
Arbitro: Claudio Cerdeira(RJ)

Gols: Fabio Jr18;Fabio Jr 23;Fabio Jr 30; Edgar 38 e Lincoln 26 do segundo tempo.

Cruzeiro: Paulo Cesar , Gustavo, Wilson Gottardo, Marcelo Djian,Gilberto;Valdir, Ricardinho, Marcos Paulo (Leo); Marcelo Ramos, Alex Alves (Vagner), Fabio Jr (Geovani) - Tec. Levir Culpi

Atlético: Hiram (Emerson) Indio, Lima, Sandro Barbosa, Dedê; Bruno (Hernani), Edgar, Lincoln; Juninho, Reinaldo (Claudio), Marques - Tec. Vantuir Galdino

CV: Sandro Barbosa

O goleiro Dida estava machucado e desfalcou o Cruzeiro nas duas partidas da decisão. Porem Paulo Cesar Borges jogou muito bem em todas as duas partidas.
O plantel campeão com Dida, João Carlos,Bentinho,Wilson Gottardo, Gustavo, Marcelo Djian, Gilberto e Paulo Cesar. Agachados: Vagner , Marcelo Ramos, Elivelton, Marcos Paulo, Ricardinho, Valdir, Alex Alves (?),Fabio Jr e Caio.


Na segunda partida o Cruzeiro reverteu a vantagem do empate e quem jogava pelo regulamento agora era o time celeste. Assim o 0x0 no placar foi o suficiente para tão logo o arbitro Sidrack Marinho apitou o final da partida e  jogadores e torcida fazerem uma grande festa. Tricampeão era o coro que vinha das arquibancadas. O capitão Wilson Gottardo levantava a taça para delirio de milhares de cruzeirenses ali presentes.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

ATLÉTICO PENTA CAMPEÃO MINEIRO 1982



O ano de 1982 foi atípico em termos de clássicos entre Atlético e Cruzeiro . Foram disputados seis clássicos ao total, sendo dois pela Copa dos Campeões e quatro pelo campeonato mineiro. O Atlético venceu dois, o Cruzeiro um e tres terminaram empatados.
Porem na partida final e decisiva prevaleceu a superioridade do time do Atlético, uma verdadeira seleção. O time so precisava de um empate para conquistar seu quinto titulo seguido pois já havia vencido em 78-79-80 e 81. Mas o que se viu foi o time atleticano soberano , controlando a partida.  Tostão II até que deu esperanças a torcida cruzeirense quando aos 24 minutos do primeiro tempo fez Cruzeiro 1 x 0.O Galo não se abateu e continuou a tocar a bola e tentando os lançamentos para reinaldo na frente. O time acabou premiado com um gol de Renato no ultimo minuto do primeiro tempo. No intervalo a torcida atleticana fez a festa enquanto os cruzeirenses demonstravam preocupação.
O segundo tempo mal começou e Reinaldo fez o gol da virada no primeiro minuto de partida. A torcida explodiu de alegria já sentindo o gostinho da vitoria e da conquista do penta campeonato.O Cruzeiro até que tentou e teve algumas chances com Carlinhos e Tostão mas a defesa atleticana estava muito bem postada e rechaçou qualquer chance de empate.
Quando o juiz apitou o finalda partida  começou uma grande festa no gramado e na arquibancada. Era afinal o primeiro e até hoje unico pentacampeonato conquistado no Mineirão.
Para um jogador em especial este titulo representava muito, Nelinho. Ele que saiu do Cruzeiro após 10 anos brigado coma diretoria foi ser campeão logo em seu primeiro ano no Atletico.

Tostão e Heleno, um bom duelo no meio campo.



FICHA TÉCNICA:
Atlético 2 x 1 Cruzeiro
Publico: 108.935
Renda: Cr$ 49.243.800,00
Arbitro: Aldenir Vieira Matos
Gols: Tostão 24, Renato 45; Reinaldo 1 do segundo tempo.

Atlético: João leite, Nelinho, Osmar, luisinho e Jorge Valença; Toninho Cerezo, Heleno e Renato (Renato Sá); Catatau (Miranda), Reinaldo e Eder. Tec: Lacerda

Cruzeiro: Gomes, Chiquito, Zezinho, Ozires e Luis Cosme; Douglas, Eudes e Tostão; Carlinhos, Mauro madureira e Edu (Ricardo) (Celso Roberto)

Belíssima imagem da partida quando caiu uma rapida chuva mesmo a partida sendo disputada sob sol. Reinaldo e Tostão fizeram os seus gols no clássico.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

CHARANGA DO CRUZEIRO

A charanga do Cruzeiro existiu nos anos 60 e 70 tendo seu fim no inicio dos anos 80. Felicio Brandi o então presidente do clube queria uma charanga para animar a torcida assim que o Mineirão surgisse. Convidou então o apresentador de um programa de auditorio com grande sucesso em Belo Horizonte: Aldair Pinto. No programa de Aldair passaram inumeros cantores que depois vieram a ser conhecidos em todo pais como Agnaldo Timoteo e Clara Nunes. Esta cruzeirense fanática passou a ser a madrinha do Cruzeiro. Pois então Aldair Pinto começou a formar sua charanga, levando musicos experientes e acostumados com o samba. Surgia assim a charanga do Cruzeiro ou do Aldai Pinto como ficou conhecida. A charanga tinha por costume entrar com seus integrantes em silencio, sem tocar nenhum instrumento . Somente depois que os cerca de 15 integrantes se posicionavam nos seus lugares e quando o maestro Aldair Pinto dava o sinal é que a musica começava. Quando ela começava parecia ter iniciado um ensaio de escola de samba. A charanga tocava ritmos caracteristicos que somente a torcida cruzeirense cantava.
Outra tradição da charanga era que seus musicos tocavam em cima de uma grande bandeira do Cruzeiro que ficava estendida na arquibancada. Aldair Pinto somente deixava seus musicos tocarem quando o Cruzeiro estava de posse da bola . Era um empurrão aos jogadores e ao time que sempre valorizou o toque de bola. Quando o adversario tomava a bola eles terminavam o ritmo tocado. As excessões eram quando tocavam musicas longas como o hino do clube.

CHARANGA DO GALO

Desde a década de 1960, a Charanga do Galo agita a Massa Atleticana nos estádios
A charanga do Galo nasceu de um grupo de atleticanos integrantes de uma escola de samba chamada Surpresa, no bairro Lagoinha. Eles resolveram unir a música e a paixão pelo Atlético. Na década de 60, Júlio, comerciante da cidade, resolveu patrocinar a idéia e chamou Bororó, um grande músico mineiro para comandar os músicos. O que era uma simples diversão virou coisa séria e se formou a Charanga do Galo. A entrada da charanga nas arquibancadas era uma festa. Caracterizada pelos instrumentos de sopro que marcavam o ritmo do grito de guerra " Gaaaalo" os musicos iam entrando um a um ritmados e contagiando a torcida atleticana. Cerca de 20 integrantes compunnham a charanda do Galo ou do Julio como muitos definiam. Era uma charanga diferente das demais que somente usavam instrumentos de batuques como surdos, caixas, taraus , repiniques pois eles tocavam trombone de vara.
Há quarenta anos,a charanga sobe para a arquibancada aplaudida e embalando a Massa Atleticana com o Hino ao Clube Atlético Mineiro